Postagens

Mostrando postagens de 2015

Ponte Torta: a importância do restauro de um bem fora da vida prática

Mutirão pelo Complexo Fepasa

Objetivo: Encontrar soluções que visem contribuir no financiamento do projeto de restauração do Complexo Fepasa com colaboração da iniciativa privada.

Justificativa: Atualmente, Jundiaí conta com um aparelho público fantástico pelo seu valor histórico e estrutura, porém – exatamente por sua longevidade -, necessitando urgentemente de reforma. O Complexo Fepasa irá se tornar um grande centro cultural e é administrado da melhor forma possível com o que tem para oferecer, no entanto, o atual cenário faz com que  a maior parte da estrutura livre não tenha condições de uso, seja por interdição dos Bombeiros ou da própria Prefeitura Municipal de Jundiaí.
O Complexo conta com área total de 110 mil m² e 40 mil m² de área construída, com parte ocupada por usos como o Museu da Cia. Paulista, a Fumas, Guarda Municipal, Secretaria de Transportes, o Poupatempo, aFatec Jundiaí, o CELMI e agora também aEstação Juventude.



História:

A ideia de se fundar uma companhia particular para construir uma estrada …

SESC Jundiaí será inaugurado amanhã, mas a expectativa já vem de algumas décadas

Imagem
A terra da coxinha de queijo ganhará novas iguarias a partir deste final de semana, pode-se dizer que temos orgulho e todos nós já fomos zombados por sermos a única cidade onde coxinha não é necessariamente de frango. Qual jundiaiense nunca comeu uma coxinha de queijo? Em qual bar daqui não se encontra esse salgado cuja identidade é tão jundiaiense?



Talvez a analogia seja descabida, mas procurei algo nosso para demonstrar a importância da instalação do Serviço Social do Comércio (SESC) na cidade em um período onde diversos coletivos - cujo mote é desempoderar do mainstream a capacidade singular de produzir cultura.
Na verdade, a Escola de Frankfurt fez nas primeiras décadas do século passado a crítica direcionada à indústria cultural, onde o filósofo Theodor de Adorno afirma que a autonomia e poder crítico das obras artísticas derivariam de sua oposição à sociedade.
Ou seja, já era visto que a máquina capitalista de reprodução e distribuição da cultura estaria apagando aos poucos tanto…